Apoio:

Parceiros:

Bem na estreia, mas e depois?

20140127125205629320o

Arena das Dunas, que receberá quatro jogos do Mundial, passa no teste inicial com partidas regionais. Desafio dos operadores será garantir público após clima de festa

Atrair o público é o principal desafio da Arena das Dunas, sétimo dos 12 estádios a ficar pronto para a Copa do Mundo (receberá quatro partidas), que teve ontem seus primeiros jogos: o América-RN venceu o Confiança-SE por 2 a 0, pela Copa do Nordeste, e ABC e Alecrim, pelo Potiguar, fariam a partida de fundo. No primeiro teste, a maioria dos serviços funcionou bem. O lugar, que chama a atenção pela beleza arquitetônica – a cobertura com 20 pétalas de aço e telhas de alumínio simula as dunas locais –, não ficou lotado, uma vez que a torcida do ABC entrou mais tarde para acompanhar o alvinegro. Eram esperadas 28 mil pessoas.

A operação nos próximos 20 anos será do consórcio OAS Arenas, também responsável pela Arena Fonte Nova e Arena Grêmio (esta fora do Mundial). Ao contrário dos outros estados do Nordeste, como Bahia, Ceará e Pernambuco, as equipes potiguares não têm arrastado multidões a seus compromissos. Na Série B, o América-RN, que está construindo o próprio campo, levava, em média, pouco mais de 1,6 mil por partida, jogando em Goianinha, a 65 quilômetros da capital. O público do ABC, que manda seus jogos no Frasqueirão, não chega a 5 mil.

Na avaliação do presidente da Arena das Dunas, Charles Maia, existe uma demanda reprimida, já que os clubes não contavam com bons estádios, o que seria responsável pelo afastamento da torcida. “Agora, o torcedor terá a comodidade de um estádio novo e perto de casa. O América jogava longe, agora estará em casa. A torcida do ABC terá mais conforto. E a gente também quer trazer clubes da Série A para jogar aqui. Estamos negociando”, explicou.

O consórcio e o governo local entraram em acordo com os dois principais times locais para que as partidas mais importantes sejam mandadas na Arena das Dunas. Os detalhes do contrato (como custos operacionais e a porcentagem de partidas que cada um terá de fazer na Arena das Dunas), porém, não foram divulgados.

Outra aposta é no potencial comercial. Um Sport Bar foi montado no lado leste, aberto de segunda a sábado, com TVs transmitindo eventos de todos os esportes. Está em negociação a construção de uma academia fitness, com vista panorâmica, que funcionaria depois da Copa do Mundo. Atrás de outro gol há o projeto de montagem de uma arena indoor com capacidade para 3 mil pessoas, que receberia eventos menores. “A intenção é diversificar, com programação diária, com muitas opções”, detalha o gerente de marketing da arena, Artur Couto.

CADEIRAS REMOVÍVEIS Tanto a academia quanto a arena indoor serão levantadas em um espaço que hoje está vazio, na arquibancada superior atrás dos gols, onde serão colocadas as poltronas removíveis. O estádio tem hoje 31.375 lugares e precisará instalar mais 11.744 assentos para que a lotação supere os 40 mil exigidos pela Fifa para a Copa do Mundo. A instalação, que custará R$ 9,7 milhões, começará nos próximos dias e deve ficar pronta em 70 dias.

A agenda do Mundial

México x Camarões
13 de junho

Gana x EUA
16 de junho

Japão x Grécia
19 de junho

Itália x Uruguai
24 de junho

Bom, mas pode melhorar

Trânsito
Como o estádio tem boa localização, com três vias de acesso rápidas, o trânsito fluiu normalmente. O entorno está passando por obras da prefeitura (entre elas, a construção de um túnel), que devem ficar prontas em abril.

Transporte público
As obras para o Veículo Leve sobre Trilho (VLT), que estava entre as obras de mobilidade para a Copa, ainda não foram iniciadas.

Banheiros
São 120 banheiros no estádio. Todos estavam limpos e o abastecimento de água foi normal.

Acesso às cadeiras
Os torcedores chegaram com facilidade aos assentos. O estádio conta com 18 escadas de acesso, que facilitam o escoamento – a Fifa pede que a saída, em caso de emergência, seja feita em oito minutos

Venda de ingressos
Na sexta-feira, a venda, prevista para começar às 11h, só foi iniciada por volta das 12h30 em alguns pontos. No sábado houve filas longas para a retirada de ingressos para quem comprou pela internet.

Bares
O estádio tem 25 bares e todos funcionaram ontem. O preço desagradou aos torcedores: a água (300ml) custa R$ 3, e o cachorro-quente, R$ 7.

Segurança
Muitos policiais circulavam na parte externa do estádio. Houve poucos incidentes. Dentro, muitos orientadores com coletes ajudavam a organizar o público.

Gramado

O gramado, que teve cuidado especial nos últimos dias, estava impecável. A espécie, Bermuda celebration, é a mesma do Mineirão.

Fonte: www.df.superesportes.com.br

 

Os comentários estão encerrados.

Últimas Notícias:

";